Capital Nacional dos Botos Pescadores

 

A Comissão de Educação, Cultura e Esporte do Senado emitiu, nesta terça-feira (1º), parecer favorável ao Projeto de Lei Complementar (PLC) 192/2015, de autoria do Deputado Federal Esperidião Amin, para conferir o título de Capital Nacional dos Botos Pescadores. Agora, o projeto seguirá para o plenário para análise e votação.
A denominação vem do fato de que a Cidade Juliana desenvolve a pesca cooperativa da tainha com o golfinho da espécie Tursiops Truncatus. Em todo o mundo, prática semelhante só é encontrada em dois outros locais: Mauritânia, na África, e Mianmar, na Ásia, mas Laguna se difere por ocorrer de forma artesanal.
A relação entre golfinhos e os pescadores já dura mais de 150 anos. Os botos, em um movimento sincronizado, cercam o cardume de tainhas e emitem um sinal, cada um a seu modo, do momento certo para que os pescadores lancem a tarrafa. O aviso permite que eles capturem mais peixes do que o normal. Essa interação ocorre o ano todo.
Amim explica que, apesar de ser avistado em todo o litoral brasileiro, só em Laguna, na região do Canal da Barra, o golfinho tem esse comportamento. A intenção de dar ao município o título de Capital Nacional dos Botos Pescadores é para não apenas divulgar essa forma peculiar de cooperação entre golfinhos e pescadores, mas também chamar a atenção para a necessidade de conservar os ecossistemas da região.
O relator do projeto na Comissão, senador Dalírio Beber, aponta a concessão do título como um esforço para a preservação do meio ambiente e para a valorização das riquezas naturais do país. Além disso, observa ele, a iniciativa pode dar visibilidade a Laguna, estimulando o turismo e reforçando a economia local.