Operação contra esgoto clandestino na Prainha do Farol

20/02/2016

As saídas de esgoto de redes clandestinas na Prainha do Farol de Santa Marta serão lacradas na próxima segunda e terça-feira, dias 22 e 23. Profissionais de vários setores da prefeitura iniciarão os trabalhos por volta das 8h nos dois dias. Fiscais da Fundação Lagunense do Meio Ambiente (Flama), Vigilância Sanitária e das secretarias de Planejamento e Desenvolvimento Econômico e Social, e de Transportes, Obras, Pesca, Desenvolvimento Rural e Aquicultura estão convocados para a operação. Homens da Polícia Militar Ambiental (PMA), Guarda Municipal e da Polícia Militar darão apoio ao cumprimento dos trabalhos. Os lacres serão necessários devido à poluição visível dos dejetos jogados no mar deste balneário, apontado, muitas vezes, como impróprio para banhistas em recentes relatórios da Fundação do Meio Ambiente (Fatma).
Não será um serviço aleatório. Os proprietários de todos os pontos irregulares foram notificados anteriormente para que regularizassem a questão. Poucos se adequaram. Entre os principais poluidores da Prainha estão pontos comerciais, como lanchonetes, mercados, restaurantes, bares e pousadas. Várias residências também têm saídas clandestinas de esgoto. A medida, segundo o secretário de Planejamento, Rodolfo Michels Godinho, não é enérgica, mas sim protocolar, pois segue uma regra interposta a outras comunidades de Laguna, como no Mar Grosso, onde desde o último trimestre do ano passado, recebe vistorias dos fiscais. Um tradicional hotel desta região chegou a ser interditado no fim do mês passado.
O prefeito Everaldo do Santos pediu empenho total dos profissionais envolvidos. “É inadmissível que aceitamos, em pleno ano de 2016, atitudes que vão contra a ecologia. Não dá para acatar que joguem esgoto diretamente na praia, como estão fazendo, sem nenhum tipo de tratamento. Já foram avisados que sofreriam as consequências”, alerta. Quem não possuir rede coletora será necessário regularizar com a construção de uma fossa e sumidouro.